Arquivos para categoria: Uncategorized

“Eu jamais chegaria aonde cheguei se só andasse em linha reta. Tive que voltar atrás, andar em círculos, perder dias, perder o rumo…”

Marla de Queiroz

c36369806b06eccabd4ec4d6709299bc

Numa conversa sobre tanajuras, sobre que gosto ela terá, entre manteigas e opiniões, seu sabor eu logo tratei de contar:

Tem gosto da gente criança, se juntando numa farra danada com um monte de outras crianças; mais a sua mãe, os seus vizinhos, a sua rua todinha… Com sacos amarrados nas pernas, e bacias cheias de água, em torno de alguma barreira, à procura das tanajuras!

Tem gosto de voltar pra casa, com sorriso no rosto.

Cheirinho de café no fogo, e um outro cheirinho bem singular, da tanajura frita na manteiga e envolvida com farinha!

Tem gosto de crocância, de um final de tarde diferente! E, para quem gosta de tanajura, certamente ao pensar sobre seu gosto, logo se lembrará dessas coisas que a gente conhece na infância…!

Adriana Nunes

tanajura-rebeca

tanajura-este

Imagens: https://mangiachetefabene.wordpress.com; + arquivo pessoal da minha amiga Rebeca

Daquela saudade danada que dá do passado… Das pessoas, dos encontros, das músicas, dos momentos, dos tempos…

Saudade daquilo que não volta mais… Daqueles que, ainda se voltarem, não serão os mesmos…

Saudade da inocência, saudade da ousadia, saudade de viver mais um pouco, em um tempo que durou tão pouco…

Talvez, refletindo sobre saudade, possamos dizer que ela seja o que ficou de um tempo que passou… Uma lembrança, um sentimento, uma vontade, uma espera de algo que não volta mais igual como era antes…

Adriana Nunes

 

saudade

ba2d5a4ecc2c948347b95f48fd47c426“Meu coração hoje acordou
Buscando por você
Sem medo de querer
Meu coração
Sabe porque
Te ama tanto assim
E quer você pra mim
Eu não sei explicar
Esse amor que nasceu
Está em mim e é seu…

Te amo.”

 

“Eu tava triste, tristinho
Mais sem graça que a top-model magrela
Na passarela
Eu tava só, sozinho!”

Mas depois passa…

Porque não há tristeza que não seja seguida de alegria!

Adriana Nunes

 

so

Sabe, de uma felicidade que de tão grande é também tão sutil? Daquelas que partem do coração e parecem fazer sorrir até a alma… Assim, de maneira sutil, leve, singela…

Sabe de quando ela vem seguida de uma dor no coração (nada físico)? Daquelas dores que parecem vir lá de dentro da gente? Pois bem, como disse o admirável Exupéry “A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar…”.

Sabe, assim como o personagem de Exupéry, eu também tive um amigo, na verdade ainda tenho, uma amiga do coração, como eu gosto de dizer. Conheci ela faz muito tempo, quando eu tinha uns catorze anos, naquela época, não éramos amigas, apenas nos conhecíamos, trocávamos pouquíssimas palavras e, não tínhamos afinidades nenhuma… Pra falar a verdade, eu preferia não ter muitos papos com ela…rs!

O tempo passou, passamos uns bons anos sem nos encontrármos e, um belo dia, esbarro com ela e ela se lembra de mim… Deste dia em diante, sempre topávamos pelos corredores, e ela, muito educada e simpática, sempre me cumprimentava: “Bom dia!”, “Boa tarde!”,” Como vai?”,” Tudo na paz?” Respostas curtas: ” Bom dia”, “Boa tarde!”, “Tudo bem!”.

Mas um dia, eu respondi que não, que não tava nada bem, e foi daí em diante que as coisas começaram a mudar. Ela deu um jeito de falar comigo, e eu contei-lhe o que estava tirando a minha tranquilidade. A partir daí, encontrei alguém que parecia se importar comigo de verdade.

Eu, que nunca fui muito de abrir espaço em minha vida para as amizades, dessa vez não coloquei barreiras. Deixei nascer uma amizade, permitir partilhar um pouquinho da vida em conversas, permitir um abraço fraterno, e quando vi, um laço de amizade já estava formado!

Assim, entendi que um amigo se conquista, que os sentimentos de amizade e querer bem, nascem no coração. Um amigo se torna amigo, pela bondade de Deus, que assim nos permite e, quando esse amigo chega, traz junto com ele uma alegria, que vem da alma!

Um amigo me cativou…, mas precisa não estar mais por perto fisicamente, assim como a amiga do personagem de Exupéry, minha amiga terá que viver em outro território, diferente do meu…

De tudo o que já ouvi sobre a distância, tudo me faz refletir que as distâncias físicas não são o suficiente para separar as pessoas… É que a gente sempre quer estar por perto das pessoas a quem queremos bem, né? Mas amar não será justamente o saber respeitar e aceitar, e permitir internamente, as distâncias do outro? Não será dizer de coração partido: Vá amiga, e seja muito feliz! E ao falar isso, está realmente desejando, de coração, que o seja? Pois bem…!

Que a distância não nos separe… Que sejas muito feliz!! Que a amizade seja para sempre! Que encontremos em nosso caminho, vários presentinhos de Deus, ou seja, pessoas em nossas vidas, que nos ajude a seguir em frente e a colocar amor e luz em nosso caminhar…!

6d9acdc84cc8a62a63184e6d4bc5c851

Adriana Nunes

 

Conto De Fadas

Eu trago-te nas mãos o esquecimento
Das horas más que tens vivido, Amor!
E para as tuas chagas o ungüentod933f20496d5952fbe855c14a0659681
Com que sarei a minha própria dor.

Os meus gestos são ondas de Sorrento…
Trago no nome as letras duma flor…
Foi dos meus olhos garços que um pintor
Tirou a luz para pintar o vento…

Dou-te o que tenho: o astro que dormita,
O manto dos crepúsculos da tarde,
O sol que é de oiro, a onda que palpita.

Dou-te, comigo, o mundo que Deus fez!
Eu sou Aquela de quem tens saudade,
A princesa de conto: “Era uma vez…”

 
Florbela Espanca

Sabe, a gente lê, escuta e até fala tanta coisa… E no meio de um bocado de informação tem sempre aquela que a gente vai processar e vai pensar “puxa, eu não gostaria de esquecer disto…” Ou ainda: ” E quando eu precisar eu vou lembrar disso?”. Ah… Não dá para levar uma enciclopédia na cabeça! Que pena! Mas é preciso se nutrir do que achamos ebc6f826de3e5edbbd725f52e3aa923bimportante, porque se o essencial estiver no coração, estiver bem estruturado na cabeça e no coração da gente, certamente que na hora em que precisarmos saberemos sim como agir! Não com fórmulas prontas, mas com a nossa essência e o discernimento de quem se preparou, de quem buscou, de quem se entregou!

Que a informação, mesmo vindo com excessos não nos sufoque na ansiedade!

Que o discernimento nos ajude a não deixar passar despercebido o que realmente é essencial!

Adriana Nunes

Conto De Fadas.

Eu trago-te nas mãos o esquecimento
Das horas más que tens vivido, Amor!
E para as tuas chagas o ungüento
Com que sarei a minha própria dor.

Os meus gestos são ondas de Sorrento…
Trago no nome as letras duma flor…
Foi dos meus olhos garços que um pintor
Tirou a luz para pintar o vento…

Dou-te o que tenho: o astro que dormita,
O manto dos crepúsculos da tarde,
O sol que é de oiro, a onda que palpita.

Dou-te, comigo, o mundo que Deus fez!
Eu sou Aquela de quem tens saudade,
A princesa de conto: “Era uma vez…”

Florbela Espanca655a66085d0fd7ca44416982f052ab18

 

Fonte:http://pensador.uol.com.br/poemas_de_fadas/
Imagem: Pinterest