Arquivos para categoria: Meus escritos

“Menina , amanhã de manhã
quando a gente acordar
quero te dizer que a felicidade vai
desabar sobre os homens, vai”

**

Um dia, era meu aniversário, desejei de todo o coração que a felicidade desabasse sobre todo o mundo… Gritei, cantei, rezei aos quatros cantos que desejava essa felicidade para todos nós. Falei abertamente que o aniversário era meu, mas que desejava a felicidade para todos… todos…!

Acho que a felicidade não entendeu, que eu fazia parte desse todo… Ou então ela entendeu tão perfeitamente que resolveu iniciar um projeto de felicidade para mim, o qual ainda não fui capaz de compreender…

O dia do aniversário passou e, no amanhã de manhã, quando o dia amanheceu, nada era tão feliz assim, a tristeza veio apresentar-se, veio informar que a felicidade descobrira muitas brechas onde precisava entrar, e achou que a tristeza talvez ficasse bem hospedada por aqui… talvez… mas só por um tempo…

Sabe, passou um bom tempo para eu ter coragem de escutar a tal música anunciadora desse meu desejo de felicidade, ela já não me fazia feliz, ela fazia doer ao coração… Afinal, desejar coisas boas não deveria atrair coisas boas…? Ou… Ou o mundo está torto? Ou eu estou entendendo tudo errado…?

Só o tempo, para ajudar a entender compreender todos esses acontecimentos… Só o tempo para ir curando as feridas e os machucados…

A música ainda é difícil de ouvir, afinal o que era para trazer boas sensações, passou a ser associado a lembranças não muito boas… Mas hoje eu entendo, como já entendia antes mas tinha abandonado a minha crença, que a felicidade de ninguém fica comprometida pela felicidade do outro… A gente é que, muitas vezes, procura a felicidade no lugar errado, ou a associa a algo específico…

A felicidade vem de dentro para fora, é uma forma de viver e se relacionar com o mundo, com os nossos problemas, com as nossas dores… É ter o coração sangrando e mesmo assim ser capaz de apreciar a beleza da natureza, admirar a beleza de uma criança, sorrir com o vento gostoso que passa acariciando o rosto, ou correspondendo a alguém que ingenuamente nos sorri …

Precisei chorar para que um monte de gente tivesse que sorrir e assim ter atendido o meu presente de aniversário…? Certamente não… Certamente apenas os meus pensamentos no momento de dor e inquietação passaram a interpretar assim…

Já dizia o poeta que a dor e o amor cura… E já me disseram também que a felicidade foi feita para todos… a gente só precisa procurar no lugar certo e, acreditem, continuar desejando que ela chegue para todo mundo!!!! E ela haverá de chegar, e atender ao chamado, e saber mostrar que mesmo na dor, onde os pensamentos e a visão se tornam turvos, existe um mundo de luz, e por isso existe cor, e sabor, e beleza, e vida, e oportunidades, de se transformar, refazer, reviver e que enquanto nós pudermos amanhecer, teremos chances de mesmo nos dias chuvosos, encontrar a beleza que vem com a chuva… e a dor também… Só nos cabe escolher como nos relacionar com elas…!

By: Adriana Nunes

 

 

 

 

 

 

Anúncios

525d8b18ac88dd2b01d13e97a560a8bcQuando não se sabe nem o que escrever, pois não há música, nem poesia, nem palavra alguma que nesse momento consiga expressar o que se estar a sentir…

Será que este mundo de sentimentos e palavras são mesmo tão confusos assim?

A cada canção, uma afirmação e uma negação, porque é assim mesmo que aqui dentro e fora do peito tudo se contradiz. Mesmo nossas certezas, aquelas só nossas que temos como verdades, elas chegam num ponto de nos confundir e ironicamente nos fazer questioná-las, questionando a si mesmo, e a cerca do que se pensava ser tão propriamente seu…

O mundo é infinitamente grande e cheio de possibilidades mas, há vezes, que nenhuma delas parece se encaixar dentro de nós…

Então sossega… pois até mesmo isso é passageiro…!

By Adriana Nunes

 

A dor liberta… E algumas dores ajudam a curar também. Até mesmo a dor tem data pra terminar… E quando ela vai embora o que fica? Leveza em olhar para o futuro…?

Adriana Nunes

IMG_20180215_213053_410

Uma dor é sempre única e dizem que ela é subjetiva…! Impossível de ser mensurada em sua totalidade, ela apenas é sentida e sofrida por quem a carrega!

Existe a dor física e a dor na alma. Qual será a mais dolorosa? Isso é imensurável e é tão pessoal que filósofos e estudiosos não poderiam responder.

Cada um sabe a dor que sente, e a cada um cabe decidir como responder e corresponder a essa dor.

De uma forma bem simples poderíamos dizer que a dor é algo ruim, que não faz bem, mas ironicamente essa mesma dor poderia responder que apesar de tudo ela carrega o poder de ressignificar e transformar.

Adriana Nunes

3 Fases da Lua: A PROCURA PELA DEUSA

Imagem: pinterest

De repente, eu vi que deveria passar a olhar o que houve de bonito no meu dia, e agradecer…. Sim, agradecer por cada coisa boa, por algumas não tão boas também, afinal de contas, tudo pode trazer ensinamento, mas devo agradecer bastante, até para que eu possa enxergar melhor as graças que recebo e olhar menos para o lado amargo da vida…

E de repente, pensando no meu dia, admiti que muitas vezes precisamos mudar, sim mudar! Mas mudar o quê…? Aí logo cheguei a conclusão que podemos mudar muitas coisas… E por que não os sonhos? E por que não o percurso? E por que não o conteúdo do blog…? E por que não a forma do não e do sim…? A melodia da voz, o sorrido ou a tristeza do rosto, a resposta ao amor…

Querendo ou não, algo está mudando em nós o tempo todo…! Assim, que sejamos capazes de admitir e aceitar a nossa parcela de escolha dentro de nossas mudanças, e estejamos abertos a isso, pois nos possibilitará a vida!

Adriana Nunes

You have only just begun to discover your magnificence. This period of your life marks a New Beginning. You can feel it. And you have only just begun

Imagem: Pinterest

 

 

A florzinha já não sabe mais sorrir… E, às vezes, nem sabe exatamente porque… Se pudesse mudar as coisas… Fazer uma mágica… Acordaria em outros tempos… Não sei que tempos seria… Talvez seja melhor ficar sonhando, florzinha… Quando se aterrissa, colocar os pés no chão faz doer…

Adriana Nunes

Julia is able to speak to Saren as she is somehow able to get part of the light out - to reason

 

Aí…!

Acho que as palavras me apaixonam, me envolvem, me consomem…

Como amor… Com ardor…

A sedução em palavras, a ausência de palavras, assim escritas… assim não ditas mas ainda pensadas, e na tela da mente vividas…

E se forem faladas, tomam força e ganham verdade…!

De um jeito ou de outro, seja falada, calada ou escrita, geram verdades, chegam com vida!

Adriana Nunes

 

a tiny place happy but

Imagem: Pinterest

Alguém, há muitos anos, já me falara sobre a lua… E ela sempre foi motivo de conversas.

Uma pessoa bem próxima, outra vez, cantou o que já era cantado à lua, em lembranças ao seu avô.

Lua inspira romance, às vezes melancolia, na maioria das vezes traz consigo sonhos, e para Julieta enriquece uma resposta para o seu Romeu.

Deixarei aqui a música de lua que trazia as lembranças do avô… Para outros pode trazer outros tipos de lembranças, mas o que importa não é o contexto, importa que será sempre a mesma lua…!

Adriana Nunes

Full moon over the shore

“Bem lá no céu uma lua existe

Vivendo só no seu mundo triste
O seu olhar sobre a Terra lançou
E veio procurando por amor
Então o mar frio e sem carinho
Também cansou de ficar sozinho
Sentiu na pele aquele brilho tocar
E pela lua foi se apaixonar

Luz que banha a noite
E faz o sol adormecer
Mostra como eu amo você

 
Se a lenda dessa paixão
Faz sorrir ou faz chorar
O coração é quem sabe

Se a lua toca no mar
Ela pode nos tocar

 

Pra dizer que o amor não se acabe!

 
Se cada um faz a sua história
A nossa pode ser feliz também
Se o coração diz que sim à paixão

 

Como pode o outro dizer não

Luz que banha a noite
E faz o sol adormecer
Mostra como eu amo você

Se a lenda dessa paixão
Faz sorrir ou faz chorar
O coração é quem sabe

Se a lua toca no mar
Ela pode nos tocar
Pra dizer que o amor não se acabe”

 

Música: Sandy & Júnior
Imagem: Pinterest

Se meus sonhos virassem realidade eu estaria a sorrir… Estaria vendo de uma janela as folhas das árvores balançando com o vento!

Certamente eu estaria descobrindo cada parte de uma casa, os muitos detalhes que ora existem nela…

Encontraria em algum vão um sorriso doce e terno, olhos serenos e sinceros. Correria pra Ele e ali, onde os sonhos se realizam, eu provaria de um amor sonhado e na imaginação vivido.

Sabe, seria outono… E abóboras haveria por toda a casa! Certamente eu pediria para enfeitar alguma, aquela que tivesse chamando por mim! E, a noite, quando as luzes do céu se ascendessem, sairíamos por aí, pelas ruas, a festejar uma festa desse mundo, para o qual eu gostaria de me mudar…

Adriana Nunes

 

Ps.: Encontrei a casa… Exatamente essa…!

De repente eu vejo… O que ninguém mais vê…

A luz que brilha lá fora…, O grito que cala aqui dentro;

O sopro de vida a vibrar e um resto de sonho acabar…!

De repente eu vejo, sinto, ouço, encontro, luto, corro, amo, minto, fujo, calo, falo, sonho, percebo… tantas coisas da vida da gente, do mundo inteirinho a processar dentro de mim,  e que já não é só do mundo, é meu, e de tão meu, nunca foi desse mundo aí de fora…

De repente eu vejo… e sinto… e me engano em pensar que o mundo caberia todinho em palavras escritas em um blog!

E o que eu percebo é que esse mundo, sendo meu ou não tão meu, mal cabe dentro de mim…

Adriana Nunes
mundo eu

Imagem: Pinterest