Arquivos para o mês de: janeiro, 2016

“Eu tava triste, tristinho
Mais sem graça que a top-model magrela
Na passarela
Eu tava só, sozinho!”

Mas depois passa…

Porque não há tristeza que não seja seguida de alegria!

Adriana Nunes

 

so

Anúncios

janeiro

 

Janeiro está já indo embora…

Vai não Janeiro! Fica mais um pouco!
Janeiro tem que partir, fevereiro tem que chegar, e certas idas e vindas da vida a gente não
pode impedir, a gente tem é que se conformar…
De um janeiro longo… E também curto… Curtíssimo!
Adriana Nunes

“Mas quando eu partir, não fique triste.

Vire a página e deixe uma nova história começar.

E quando perguntarem sobre mim, conte a minha história com todo o seu esplendor!”
Que nunca nos falte páginas, nem histórias, nem imaginação para fazer e refazer a vida!
Que haja sempre cores, que haja sempre amor!
Os que partem, seguirão pra sempre no coração!
E que novos encantos, novos sonhos e novas luzes se façam presentes em nossas vidas!
Adriana Nupaginanes
Imagem: Pinterest

Sabe, de uma felicidade que de tão grande é também tão sutil? Daquelas que partem do coração e parecem fazer sorrir até a alma… Assim, de maneira sutil, leve, singela…

Sabe de quando ela vem seguida de uma dor no coração (nada físico)? Daquelas dores que parecem vir lá de dentro da gente? Pois bem, como disse o admirável Exupéry “A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar…”.

Sabe, assim como o personagem de Exupéry, eu também tive um amigo, na verdade ainda tenho, uma amiga do coração, como eu gosto de dizer. Conheci ela faz muito tempo, quando eu tinha uns catorze anos, naquela época, não éramos amigas, apenas nos conhecíamos, trocávamos pouquíssimas palavras e, não tínhamos afinidades nenhuma… Pra falar a verdade, eu preferia não ter muitos papos com ela…rs!

O tempo passou, passamos uns bons anos sem nos encontrármos e, um belo dia, esbarro com ela e ela se lembra de mim… Deste dia em diante, sempre topávamos pelos corredores, e ela, muito educada e simpática, sempre me cumprimentava: “Bom dia!”, “Boa tarde!”,” Como vai?”,” Tudo na paz?” Respostas curtas: ” Bom dia”, “Boa tarde!”, “Tudo bem!”.

Mas um dia, eu respondi que não, que não tava nada bem, e foi daí em diante que as coisas começaram a mudar. Ela deu um jeito de falar comigo, e eu contei-lhe o que estava tirando a minha tranquilidade. A partir daí, encontrei alguém que parecia se importar comigo de verdade.

Eu, que nunca fui muito de abrir espaço em minha vida para as amizades, dessa vez não coloquei barreiras. Deixei nascer uma amizade, permitir partilhar um pouquinho da vida em conversas, permitir um abraço fraterno, e quando vi, um laço de amizade já estava formado!

Assim, entendi que um amigo se conquista, que os sentimentos de amizade e querer bem, nascem no coração. Um amigo se torna amigo, pela bondade de Deus, que assim nos permite e, quando esse amigo chega, traz junto com ele uma alegria, que vem da alma!

Um amigo me cativou…, mas precisa não estar mais por perto fisicamente, assim como a amiga do personagem de Exupéry, minha amiga terá que viver em outro território, diferente do meu…

De tudo o que já ouvi sobre a distância, tudo me faz refletir que as distâncias físicas não são o suficiente para separar as pessoas… É que a gente sempre quer estar por perto das pessoas a quem queremos bem, né? Mas amar não será justamente o saber respeitar e aceitar, e permitir internamente, as distâncias do outro? Não será dizer de coração partido: Vá amiga, e seja muito feliz! E ao falar isso, está realmente desejando, de coração, que o seja? Pois bem…!

Que a distância não nos separe… Que sejas muito feliz!! Que a amizade seja para sempre! Que encontremos em nosso caminho, vários presentinhos de Deus, ou seja, pessoas em nossas vidas, que nos ajude a seguir em frente e a colocar amor e luz em nosso caminhar…!

6d9acdc84cc8a62a63184e6d4bc5c851

Adriana Nunes