Arquivos para o mês de: julho, 2015

Foi em 16 de julho de 1858, do outro lado do Gave… “Não via o rio, nem as tábuas, parecia-me que entre mim e a Senhora, não havia mais distância que das outras vezes. Só via a ELA. Nunca a vi tão bela.”

DSC00157

E é daqui, do outro lado do Gave, em nossas casas, em nosso trabalho, em nossa vida cotidiana, que ficamos a contemplar a face de Nossa Senhora. Face de amor e luz, que vem nos mostrar, através de Bernadette e entre tantas coisas, que não há distancia, nem obstáculos entre nós e aqueles a quem amamos!

Essa foi a última vez que Bernadette viu a Senhora na Gruta de Massabielle, e partindo de Lourdes, Bernadette leva na mente e no coração tudo o que viveu com a Virgem, ali na Gruta, junto ao Gave…

Que o Amor a Deus e a Nossa Senhora nos dê força na caminhada!

Amém!

 

Adriana Nunes

 

 

 

Sabe, a gente lê, escuta e até fala tanta coisa… E no meio de um bocado de informação tem sempre aquela que a gente vai processar e vai pensar “puxa, eu não gostaria de esquecer disto…” Ou ainda: ” E quando eu precisar eu vou lembrar disso?”. Ah… Não dá para levar uma enciclopédia na cabeça! Que pena! Mas é preciso se nutrir do que achamos ebc6f826de3e5edbbd725f52e3aa923bimportante, porque se o essencial estiver no coração, estiver bem estruturado na cabeça e no coração da gente, certamente que na hora em que precisarmos saberemos sim como agir! Não com fórmulas prontas, mas com a nossa essência e o discernimento de quem se preparou, de quem buscou, de quem se entregou!

Que a informação, mesmo vindo com excessos não nos sufoque na ansiedade!

Que o discernimento nos ajude a não deixar passar despercebido o que realmente é essencial!

Adriana Nunes