Sabe, dizem que as coisas boas não chegam fácil, e falam como se a dificuldade e o sofrimento viessem como algo que está a preparar o que é bom na vida da gente, aliás dizem que tudo o que é conquistado em meio a luta e ao sofrimento tem um sabor melhor, bem melhor…!

Sobre o sofrimento, ouço ainda que “agora você não vai entender, só depois…” ; ou ainda “talvez isso seja o melhor para você!”.

Realmente, não compreendo essas palavras, sei que já reproduzi algumas delas mas compreender de fato eu não as compreendo. Espero, ansiosamente, por esse tempo da compreensão… Porque agora só consigo pensar que nós procuramos meios, ao justificar, de olhar melhor para o sofrimento, com a esperança de um futuro melhor… Pois então, se é isso que faz sustentar, tentarei segurá-lo, tentarei segurar o que for me ajudar a passar para fases melhores, de vitórias.

No momento, sei dizer que o sofrimento dói, e sabe o pior? Ter que mastigá-lo e engoli-lo…

Acredito que o amor a vida e o amor em sua forma mais pura (amor a si, ao próximo, ao bem) sempre pode vencer as dificuldades, com paciência, serenidade e coragem.

Se a gente estaciona no caminho, não deixará de sentir a dor, estará ainda no corredor dela, a provar do seu sofrimento… Para vencer é necessário ter coragem e amor dentro de si, para continuar caminhando e conseguir chegar ao outro lado do corredor, onde há luz, esperança e possibilidades de seguir por outros caminhos…

Adriana Nunes

9f497468fd83a183936ef744654c3534

Imagem: Pinterest
Anúncios

“VEM AÍ 365 NOVAS OPORTUNIDADES!”

Ontem, último dia de 2017, vi a frase a cima e fiquei refletindo sobe ela, sobre como realmente cada dia é uma oportunidade. Pois bem, um ciclo se inicia e com ele novas chances de poder viver coisas novas, e a forma como perceberemos isso vai depender muito da forma como olhamos para o mundo, ou seja, como percebemos o que nos cerca e o que nos acontece.

Então hoje, primeiro dia de 2018, agradeci a Deus por todas as coisas que ele me concede. Acordei no aconchego do lar, com aqueles que são as minhas raízes, e me senti acolhida amada e fazendo parte desse grupo, embora algumas vezes pareça ser tão diferente deles, mas esse acolhimento não tem preço!

A cada dia um acontecimento, uma oportunidade de perceber algo novo em nossa vida… E hoje, com a meditação dos mistérios gozosos no terço, percebi que quem reza se encontra com Deus! Então hoje, especialmente nos mistérios 1 e 2 dos gozosos, percebi a importância de uma visita, do ir visitar e do fazer visita…  Do quanto é importante receber alguém, levar algo de positivo a alguém…

Que 2018 seja de descobertas, fico hoje com a frase abaixo que fala de visita e de humildade (duas coisas que aprecio quando partem do coração):

“Como posso merecer que a mãe do meu Senhor venha visitar-me?”

 

Adriana Nunes

 

“Tenha um Natal bem feliz, viu!”

E eu não pensei que essa frase fosse me emocionar tanto… Porque feliz era o que eu queria ser. Felicidade era sim o que eu queria sentir no Natal! Mas não era bem isso o que o meu coração estava sentindo… Não era isso o que eu previa para o meu Natal… Que Jesus é o nosso grande presente nessa data eu já sabia, e lhe era muito grata pelo seu amor. Mas no Natal também se celebra a família, e eis aí a minha lacuna… A minha, este ano, já não era mais a mesma… Que a ternura do menino Jesus possa chegar de alguma forma em meu coração na noite do Natal e possa consolar os corações que se sentem como o meu nessa noite…!
Que a Luz do menino Deus possa iluminar as partes mais escuras da terra nessa noite Sagrada, trazendo luz onde há trevas,  vida onde houver sofrimento, esperança para o desconsolado, amor no lugar do ódio e do rancor, e sonhos para aqueles que já não sabem sonhar…
Que Jesus nos traga luz, e paz e sorrisos que nascem no coração…!
Que o Natal possa sim ser feliz (escutai-nos, menino Deus!)!
Que haja uma noite de Luz para todos!
Adriana Nunes
São José modelo de pai presente e atencioso, de esposo amoroso e fiel. https://blog.cancaonova.com/felipeaquino/2014/03/19/o-nosso-pai-sao-jose/
Imagem: Pinterest

Já estamos perto da virada do ano, e este ano eu não quero fazer a minha tradicional retrospectiva. O momento, para mim, não é de relembrar o que aconteceu, nem de lamentar pelo que deixou de acontecer; quero apenas AGRADECER a Deus, pelo seu infinito e incondicional amor, pelos seus braços reconfortantes, que nos acolhe e nos renova para um novo levantar.

Nessa virada de ano, muitos círculos se fecham e um monte de outros círculos se inicia junto com o círculo do ano de 2018.
Que seja um ano de paz, amor e Deus sempre presente, percebido e sentido em nossas vidas!
Avante!
Adriana Nunes
IMG_20171204_232510_589
Imagem: Pinterest

Uma dor é sempre única e dizem que ela é subjetiva…! Impossível de ser mensurada em sua totalidade, ela apenas é sentida e sofrida por quem a carrega!

Existe a dor física e a dor na alma. Qual será a mais dolorosa? Isso é imensurável e é tão pessoal que filósofos e estudiosos não poderiam responder.

Cada um sabe a dor que sente, e a cada um cabe decidir como responder e corresponder a essa dor.

De uma forma bem simples poderíamos dizer que a dor é algo ruim, que não faz bem, mas ironicamente essa mesma dor poderia responder que apesar de tudo ela carrega o poder de ressignificar e transformar.

Adriana Nunes

3 Fases da Lua: A PROCURA PELA DEUSA

Imagem: pinterest

De repente, eu vi que deveria passar a olhar o que houve de bonito no meu dia, e agradecer…. Sim, agradecer por cada coisa boa, por algumas não tão boas também, afinal de contas, tudo pode trazer ensinamento, mas devo agradecer bastante, até para que eu possa enxergar melhor as graças que recebo e olhar menos para o lado amargo da vida…

E de repente, pensando no meu dia, admiti que muitas vezes precisamos mudar, sim mudar! Mas mudar o quê…? Aí logo cheguei a conclusão que podemos mudar muitas coisas… E por que não os sonhos? E por que não o percurso? E por que não o conteúdo do blog…? E por que não a forma do não e do sim…? A melodia da voz, o sorrido ou a tristeza do rosto, a resposta ao amor…

Querendo ou não, algo está mudando em nós o tempo todo…! Assim, que sejamos capazes de admitir e aceitar a nossa parcela de escolha dentro de nossas mudanças, e estejamos abertos a isso, pois nos possibilitará a vida!

Adriana Nunes

You have only just begun to discover your magnificence. This period of your life marks a New Beginning. You can feel it. And you have only just begun

Imagem: Pinterest

 

 

A florzinha já não sabe mais sorrir… E, às vezes, nem sabe exatamente porque… Se pudesse mudar as coisas… Fazer uma mágica… Acordaria em outros tempos… Não sei que tempos seria… Talvez seja melhor ficar sonhando, florzinha… Quando se aterrissa, colocar os pés no chão faz doer…

Adriana Nunes

Julia is able to speak to Saren as she is somehow able to get part of the light out - to reason

 

Aí…!

Acho que as palavras me apaixonam, me envolvem, me consomem…

Como amor… Com ardor…

A sedução em palavras, a ausência de palavras, assim escritas… assim não ditas mas ainda pensadas, e na tela da mente vividas…

E se forem faladas, tomam força e ganham verdade…!

De um jeito ou de outro, seja falada, calada ou escrita, geram verdades, chegam com vida!

Adriana Nunes

 

a tiny place happy but

Imagem: Pinterest

Alguém, há muitos anos, já me falara sobre a lua… E ela sempre foi motivo de conversas.

Uma pessoa bem próxima, outra vez, cantou o que já era cantado à lua, em lembranças ao seu avô.

Lua inspira romance, às vezes melancolia, na maioria das vezes traz consigo sonhos, e para Julieta enriquece uma resposta para o seu Romeu.

Deixarei aqui a música de lua que trazia as lembranças do avô… Para outros pode trazer outros tipos de lembranças, mas o que importa não é o contexto, importa que será sempre a mesma lua…!

Adriana Nunes

Full moon over the shore

“Bem lá no céu uma lua existe

Vivendo só no seu mundo triste
O seu olhar sobre a Terra lançou
E veio procurando por amor
Então o mar frio e sem carinho
Também cansou de ficar sozinho
Sentiu na pele aquele brilho tocar
E pela lua foi se apaixonar

Luz que banha a noite
E faz o sol adormecer
Mostra como eu amo você

 
Se a lenda dessa paixão
Faz sorrir ou faz chorar
O coração é quem sabe

Se a lua toca no mar
Ela pode nos tocar

 

Pra dizer que o amor não se acabe!

 
Se cada um faz a sua história
A nossa pode ser feliz também
Se o coração diz que sim à paixão

 

Como pode o outro dizer não

Luz que banha a noite
E faz o sol adormecer
Mostra como eu amo você

Se a lenda dessa paixão
Faz sorrir ou faz chorar
O coração é quem sabe

Se a lua toca no mar
Ela pode nos tocar
Pra dizer que o amor não se acabe”

 

Música: Sandy & Júnior
Imagem: Pinterest

Se meus sonhos virassem realidade eu estaria a sorrir… Estaria vendo de uma janela as folhas das árvores balançando com o vento!

Certamente eu estaria descobrindo cada parte de uma casa, os muitos detalhes que ora existem nela…

Encontraria em algum vão um sorriso doce e terno, olhos serenos e sinceros. Correria pra Ele e ali, onde os sonhos se realizam, eu provaria de um amor sonhado e na imaginação vivido.

Sabe, seria outono… E abóboras haveria por toda a casa! Certamente eu pediria para enfeitar alguma, aquela que tivesse chamando por mim! E, a noite, quando as luzes do céu se ascendessem, sairíamos por aí, pelas ruas, a festejar uma festa desse mundo, para o qual eu gostaria de me mudar…

Adriana Nunes

 

Ps.: Encontrei a casa… Exatamente essa…!